Tratamento combinado a soluções de projeto garantem longevidade às edificações de madeira engenheirada

A vida útil das estruturas de uma edificação construída com madeira engenheirada é a mesma esperada para os demais sistemas construtivos, como o aço e o concreto, conforme determina a Norma de Desempenho de Edificações, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) por meio da NBR 15575. O segredo para a longevidade, no entanto, não está somente na qualidade da matéria-prima, mas no processo de conservação das estruturas, desde a colheita da madeira pinus de reflorestamento, à tecnologia a qual é submetida na etapa de fabricação dos módulos de CLT (Cross Lamited Timber) e o MLC (Madeira Lamelada Colada); além, é claro, da manutenção adequada.

Na Amata, o sistema construtivo pré-fabricado de madeira engenheirada Urbem passa por diversos tratamentos, indispensáveis à sua qualidade e desempenho. Segundo com o engenheiro Felipe Icimoto, responsável pela área de Pesquisa e Desenvolvimento da Urbem, atenção especial é dada à fase de secagem das toras. “Este é um dos processos fundamentais para se evitar danos às peças, causados muitas vezes por animais xilófagos, como cupins, por exemplo,”, explica.

 

Soluções integradas

Chamada de safe inside, expressão que representa uma espécie de “embarque de tecnologia” na madeira durante o beneficiamento –  incluindo a fase em que os elementos passam por prensas hidráulicas e usinagem –, a proteção das estruturas CLT e MLC pode ser redobrada com a aplicação de componentes à base de arseniato de cobre cromatado (CCA) ou os boratos (orgânicos), além das barreiras físicas estruturais previstas no projeto arquitetônico.  

Aliás, quando o assunto é proteção, o engenheiro Felipe Icimoto sugere o uso de produtos químicos somente em pontos específicos ou de difícil acesso às estruturas, e a criação de barreiras físicas nos demais locais. “Outra possibilidade é o tratamento por meio de autoclave, que garante retenção e preservação de quase 100% da estrutura”, acrescenta.

O que todo o profissional deve considerar no momento da concepção de um edifício é um conjunto de soluções, principalmente o atendimento a normas de desempenho somado a uma boa análise do projeto, e, claro, o monitoramento da construção no decorrer dos anos. Aliás, prática indicada sempre, independente do material utilizado.

No mais, seguidas as devidas recomendações, com seu perfil sustentável e inovador, a madeira engenheirada segue como opção estrutural leve e resistente. Quanto à sua durabilidade, está mais do que testada e aprovada, dada a existência de construções centenárias mundo afora.

voltar [<]