Madeira EngenheiradaURBEM 20/08/2021

As novas tendências no uso da madeira engenheirada na arquitetura

A pandemia de COVID-19 afetou significativamente diversos setores da economia, inclusive o da construção civil. Buscando identificar as novas tendências do mercado com base nos efeitos desse novo contexto, a Think Wood, site internacional voltado ao uso da madeira em construções, realizou uma pesquisa para compreender os impactos e mapear os possíveis caminhos do uso da madeira engenheirada na arquitetura para o ano de 2021. Foram ouvidos mais de 770 arquitetos, empreiteiros, desenvolvedores e especialistas do ramo nos Estados Unidos. 

Os dados indicam que entre as principais adversidades enfrentadas estiveram os atrasos nos prazos de conclusão das obras e os desafios trabalhistas, afetando particularmente os projetos que já haviam sido iniciados no ano passado. 

Em 2021, cresceu o apelo dos assuntos ligados à emergência climática. Para os entrevistados, o aquecimento global seguirá como um tema constante, muito por conta da busca de parcerias entre governo e indústria para reduzir as emissões de carbono e incentivar construções de baixo ou zero carbono e construções verdes. Outra tendência são as construções de madeira engenheirada. Só em 2020 foram registrados mais de 1.000 projetos utilizando o material nos Estados Unidos. Em 2021, o código de construção já irá permitir arranha-céus em madeira. O elemento chama a atenção pela sua capacidade de reter carbono ao longo de toda a sua vida útil e pela possibilidade de reduzir o tempo de obra, a partir da montagem de edifícios inteiros no próprio terreno. 

A fabricação modular e a pré-fabricação aparecem como destaques na pesquisa. A técnica vai ser uma das mais presentes em 2021 juntamente com ferramentas digitais como modelagem de informações de construção (BIM), modelagem 3D e máquinas de controle numérico computadorizado (CNC). A grande vantagem dessa tendência é promover um melhor desempenho das construtoras, oferecendo economia de tempo, custo, segurança, qualidade do serviço e redução do desperdício. Construções de madeira combinada com outros materiais como aço e concreto também estarão mais presentes. Essa combinação traz facilidades técnicas e estruturais, além de estimular a sustentabilidade e a digitalização dos processos de construção. 

As novas tendências no uso da madeira engenheirada na arquitetura

Os entrevistados afirmaram ainda que consideram a madeira fundamental para promover uma habitação acessível, principalmente para as famílias que sofreram perdas econômicas durante em 2020 devido à pandemia. O material permite produzir casas a preços acessíveis, com conforto e sustentabilidade. No ano passado, os índices de habitações multifamiliares aumentaram, ou seja, casas ocupadas por mais de uma família. Nos Estados Unidos,  foram registradas 426.000 unidades no primeiro trimestre, sendo que 80% dos edifícios eram feitos de madeira.  

A pesquisa reforça a versatilidade da madeira, útil como estrutura de obras de grande porte e como ferramenta de combate ao déficit habitacional. Difundir o seu uso é incentivar um futuro melhor de maneira integrada, combinando demandas urgentes aos cuidados de preservação do planeta.

voltar [<]
Fechar [x]

amata