Sistema industrializado desponta mundialmente como uma excelente alternativa construtiva

Construir em larga escala com prazos reduzidos, sem desperdício de material tampouco financeiro – baseando-se em preceitos como qualidade e sustentabilidade –, sempre foi um desafio para a construção civil brasileira. A racionalização de processos e mecanização de etapas de uma obra, no entanto, são possíveis com a substituição dos sistemas convencionais pelos industrializados. Entre estes se destaca a madeira engenheirada, que agrega todos os requisitos inerentes à modernização do setor: eficiência produtiva, redução de desperdícios com insumos e mão de obra, precisão na execução, baixo impacto ambiental, velocidade na execução, controle de gestão, entre outros benefícios.

Por reunir as vantagens citadas, o sistema já é realidade em países como Canadá, Inglaterra, Alemanha e Austrália. Neste último, uma obra emblemática é o International House Sydney – complexo que compreende dois edifícios de seis pavimentos construídos com madeira laminada aparente. Além do alto rigor estético, o projeto foi pensado a partir de princípios como resistência e durabilidade. Assinado pelo escritório TZANNES, toda a estrutura (vigas, pilares, lajes e paredes estruturais) é composta  por elementos de madeira engenheirada.

Entregue em 2017, o International House Sydney se apresenta ao mercado imobiliário como uma alternativa aos sistemas convencionais, trazendo benefícios técnicos, estéticos e de sustentabilidade.

 

Quebrando paradigmas também no Brasil

Soluções construtivas industrializadas têm chamado cada vez mais a atenção do mercado imobiliário brasileiro na busca por sistemas que viabilizem o desenvolvimento econômico. Dentre estes, a madeira engenheirada, que apresenta benefícios singulares como leveza, beleza, resistência e precisão. Além disso, é obtida a partir de matéria-prima renovável, possui baixo impacto ambiental e a possibilidade real de contribuir com a mitigação dos gases de efeito estufa na atmosfera.

Até então utilizada usualmente apenas como elemento decorativo ou secundário de uma obra, a madeira engenheirada tem servido para construir residências unifamiliares, combinando elementos estruturais em sua composição. O objetivo é ampliar seu uso no Brasil, onde certamente encontrará espaço, com o apoio de profissionais técnicos e especializados; mão de obra qualificada; mercado imobiliário pungente e recursos naturais abundantes. Prova disso são as torres de múltiplos andares, em fase de estudo, e que serão erguidas com essa tecnologia.  

Trata-se de um momento importante, repleto de desafios e oportunidades. Um futuro mais sustentável, com edificações executadas por mão de obra capacitada e com condições de trabalho dignas, depende dos esforços coordenados por toda a cadeia que representa o setor. Vamos juntos nesse movimento?

voltar [<]