Amata Brasil 14/12/2020

Madeira certificada combate desmatamento e pobreza na Amazônia

Enquanto nações inteiras correm para desacelerar suas pegadas de emissão de carbono na atmosfera, o Brasil ainda não conseguiu evitar perdas recorrentes na maior floresta tropical do mundo. De acordo com dados revisados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), de agosto de 2018 até julho de 2019 foram mais de 10 mil quilômetros quadrados de floresta suprimida, maior índice de desmatamento registrado pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes) desde 2008. 

O quadro de degradação ambiental em que a Amazônia Legal contribui para que a região registrasse alguns dos piores indicadores sociais do País. Embora represente 61% do território nacional, ela detém apenas 8% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, o que mostra que a economia atrelada ao desmatamento tem gerado pobreza e não riqueza, com baixa geração de emprego e renda e PIB per capita abaixo da média nacional. Para piorar a situação, o desmatamento na região é responsável por 42% das emissões de gases de efeito estufa no planeta, segundo reportagem sobre o “Fórum Valor Reconstrução Sustentável”, realizado pelo jornal Valor Econômico com participação de Adalberto Veríssimo, pesquisador sênior do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), e Armínio Fraga, CEO da Gávea Investimentos.

Extração ilegal

A retirada irregular de madeira é uma das principais causas da derrubada nas florestas. De acordo com o Sistema de Monitoramento da Exploração Madeireira (Simex), do Imazon, entre agosto de 2017 e julho de 2018, 70% de toda a exploração madeireira que aconteceu no Pará foi ilegal. A prática concentrou-se principalmente em áreas privadas ou sob disputa (76%), seguida de terras indígenas (12%), assentamentos (8%) e Unidades de Conservação (UCs) (5%). 

Incentivar o uso de madeira proveniente de manejo sustentável é uma forma de preservar o bioma e toda a biodiversidade que ele guarda e, no longo prazo, permitir o desenvolvimento sustentável aliado à prosperidade das regiões de manejo.

Neste mês em que a Amata completa 15 anos, celebramos a importância da luta pela preservação ambiental sem perder de vista as oportunidades de crescimento econômico, cada vez mais pautadas pelo respeito à natureza e pela responsabilidade social. Nossa missão é contribuir com o desenvolvimento sustentável do País sem abrir mão da defesa das florestas, criando para isso novos padrões de uso, produção, comercialização e rastreabilidade da nossa principal matéria-prima, a madeira certificada. Ao incentivar o uso racional, planejado e sustentável desse elemento, nós ajudamos a manter a floresta em pé.

voltar [<]
Fechar [x]

amata