A inovação das construções de madeira conquistou um novo e gigantesco aliado, o Google. A empresa colocou seu braço de arquitetura e urbanismo, o Sidewalk Labs, para criar um edifício de 35 andares de madeira engenheirada que vem sendo chamado de Proto-Model X, ou apenas PMX. Segundo o Google, mais do que uma escolha pela sustentabilidade, o investimento pretende comprovar que há maneiras mais acessíveis, eficientes e com baixo desperdício para serem usadas na construção civil. Os custos de execução previstos são 20% menores do que de projetos tradicionais.

O PMX será erguido em Toronto, no Canadá, a partir de peças que virão cortadas de fábrica para serem apenas montadas no terreno. De painéis no chão a revestimentos externos de madeira, tudo foi pensado como peças modulares e encaixáveis, fabricadas em questão de minutos em uma linha de montagem. Sua meta é superar a altura média dos edifícios de madeira, caso do Mjøstårnet, na Noruega, com 18 andares e pouco mais de 85 metros de altura, e quem sabe tornar-se o mais alto do mundo do segmento. Isso, no entanto, vai depender de como outros projetos de edifícios em madeira caminharão até lá, já que há propostas pretensiosas em estudo em locais como o Japão.

Google entra no mercado de edifícios de madeiraNo mundo todo, o ritmo de inovação da construção civil segue historicamente em um nível bem inferior ao de outras indústrias. Basta pensar em como as telecomunicações ou a medicina evoluíram nos últimos anos e comparar com o modelo do canteiro de obras, há décadas sem mudanças, especialmente no Brasil. Mais surpreendente é saber que existe tecnologia para o uso de outros processos e materiais, caso da madeira engenheirada, que como se vê já permite a construção imediata de prédios inteiros. 

O edifício faz parte de um master plan de revitalização de um bairro de Toronto, no Canadá, iniciativa ambiciosa e que foi suspensa pelo Sidewakls Labs devido à pandemia. A decisão, porém, não impede que o PMX possa ser levado adiante. Nas palavras de seus criadores, o edifício é “uma valiosa prova conceitual” que demonstra como a tecnologia em madeira pode ser convertida em um imenso arranha-céu. Para equacionar a questão da altura, o time de profissionais desenvolveu durante um ano uma armação de vigas de madeira lamelada, a chamada Cross Laminated Timber (CLT), que funciona como um exoesqueleto no edifício. No topo, um contrapeso suspenso por molas impedirá a ação de forças laterais, como o vento. Bons argumentos para que a madeira engenheirada conquiste cada vez mais espaço no mercado imobiliário.

voltar [<]