Neste ano o Woodrise aconteceu no Centro de Convenções da Cidade de Québec e teve abertura feita pelo engenheiro civil austríaco Richard Woschitz, do escritório Woschitz Group. A cerimônia contou com a participação de autoridades canadenses, reforçando o apoio político ao desenvolvimento da madeira.

Juntos destacaram os esforços que vêm sendo feitos na luta contra as mudanças e a importância da madeira na bioeconomia. “Estamos trabalhando próximo aos governos das províncias canadenses para expandir oportunidades de mercado para produtos de madeira internamente e mundo afora”, afirmou Christyne.

Durante o evento foi dado um overview das políticas globais para a construção em madeira, essa avaliação ficou por conta de Jennifer Cover, que é presidente e diretora geral da WoodWorks, organização sem-fins lucrativos dos EUA que fornece suporte técnico, educação e recursos para projetos de edifícios de madeira não residenciais e habitações coletivas.

Ao mencionar o Brasil, a engenheira destacou que o país está crescendo no setor, com a contribuição de profissionais desenvolvendo projetos com uso de madeira, e citou o edifício AMATA como exemplo. Jennifer frisou o quanto é importante um trabalho em conjunto para que o mercado se desenvolva, já que os desafios de popularizar a construção com madeira são os mesmos em qualquer lugar do planeta.

Também foi discutido no Woodrise o surgimento de médios e grandes projetos de construção em madeira. Nicolas Laisné (Nicolas Laisné Arquitetos — França) apresentou o Canopia, prova de que projetos em madeira não precisar ser simples. Laisné também apontou três desafios encontrados por quem faz projetos em madeira: flexibilidade no uso de edifícios, espaços compartilhados e densidade. Já Karim Khalifa (Sidewalk Labs — EUA), destacou a inovação que a madeira representa na construção e a necessidade de que o assunto seja debatido nas universidades, tornando os alunos preparados para lidar com essa nova realidade.

As brasileiras Ana Belizário (Amata) e Carol Bueno (Tryptique), ao lado do engenheiro norueguês Mario Rando (Degree of Freedom Engineers) e do canadense Jean-Marc Dubois (Nordic Structures) discutiram as diferentes etapas da construção em madeira, desde a produção até a edificação.

Dubois, que é fabricante de madeira, destacou o crescimento do uso do material na construção dando como exemplo os edifícios construídos recentemente em diversos estados norte-americanos.

“Nos próximos 2 anos há importantes projetos no horizonte. Acredito que o futuro para a madeira é brilhante e temos uma oportunidade que nunca tivemos para usar um material sustentável na construção”

Ana Belizário reforçou que a Amata está preparando o mercado brasileiro da construção em madeira, que logo mais vai contar com uma fábrica prevista para começar a funcionar em 2022. Além disso, acrescentou que o Brasil tem como vantagem para o desenvolvimento do setor o rápido crescimento do pinus, gerando uma oportunidade de desenvolver a indústria unindo tecnologia e inovação e mantendo a floresta nativa protegida.

É importante certificar a madeira para conquistar a confiança do mercado ao usá-la

O arquiteto britânico Anthony Thistleton (Waugh-Thistleton Architect) acredita que o CLT pode salvar o mundo e como destacou Stéphane de Faÿ (EPA Bordeaux-Euratlantique — França), é através da economia que se cria argumento para o desenvolvimento do setor de construção com madeira. Além disso, Michael Marks (Katerra — EUA) conta que aposta na inteligência artificial para atender às exigências de alta performance ambiental da indústria da construção. Todos acreditam na importância de certificar a madeira para conquistar a confiança do mercado ao usá-la.

“As emissões de carbono podem ser reduzidas em 10,7% com as construções em madeira”

Johan Thorsell contou a história de sua cidade, Växjö na Suécia. Considerada a cidade de madeira, por ter quase 70% de novos edifícios construídos com esse material, Växjö tem como meta chegar à neutralidade na emissão de carbono em 2030. O município, localizado em região de floresta, reduziu em mais da metade a emissão de CO2 entre 1993 e 2018.

Mingjuan He (Tongji Architectural Design Group) contou como as políticas de desenvolvimento verde e sustentável na China foram eficientes e resultaram em queda na emissão de carbono. Segundo ela, o governo local incentiva construções com estrutura pré-fabricada de madeira, o que pode gerar uma redução de até 10,7% nas emissões de carbono. Além disso, explicou que o sucesso ambiental é medido não só pelas emissões de CO2, mas também pelo consumo de energia e estudos têm sido feitos para avaliar o ciclo de vida dos sistemas construtivos no material.

Enquanto outros países têm falta de madeira, o Brasil tem território para o cultivo de floresta e condições ambientais extremamente favoráveis

Patrick Reydams, engenheiro florestal da Amata, anunciou no Woodrise a construção da fábrica da empresa para a produção de CLT e contou que há um grupo de especialistas trabalhando para desenvolver o mercado que está em crescimento. “Nos últimos 2 anos, o setor cresceu em todo o mundo e a expectativa para os próximos anos é ainda maior, então há muita madeira para ser consumida. Enquanto outros países têm falta de madeira, o Brasil tem território para o cultivo de floresta e condições ambientais extremamente favoráveis, em especial, de pinus, que cresce em 18 anos no Brasil, o que nos dá uma vantagem competitiva extremamente importante”, destacou.

Woodrise Alliance

Representantes das 16 entidades que já haviam assinado o Woodrise Paper, compromisso com o desenvolvimento da madeira, se reuniram na Universidade Laval para debater os assuntos de maior importância para o setor. Novos membros também assinaram o Woodrise Paper, somando ao grupo 9 participantes, incluindo entidades canadenses, norte-americanas e uruguaia (Uruguay XXI). Um novo encontro foi marcado para maio de 2020 no Brasil, no IPT, que assinou o compromisso em 2017.

Para saber mais sobre a AMATA, acesse nosso site: www.amatabrasil.com.br. E fique ligado em nossas redes sociais:

Facebook: https://facebook.com/amatabrasil

Instagram: https://www.instagram.com/amatabrasil/

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/amata-s.a./

voltar [<]