Material, considerado o futuro da construção civil, é utilizado como estrutura de empreendimentos inovadores ao redor do mundo

 

A AMATA vai implantar uma indústria com alta tecnologia para produção de madeira engenheirada em larga escala no Brasil. O anúncio foi feito em evento realizado em 26/11/19, na Casa Manioca, em São Paulo/SP. O projeto contará com tecnologia de ponta e deve entrar em operação em 2022, quando os primeiros pedidos começarão a ser entregues. A produção atenderá aos mercados nacional e internacional.

O evento de lançamento reuniu importantes nomes do segmento da construção civil e contou com palestra de Paulo Vandor, consultor e sócio da L.E.K Consulting, sobre as megatendências globais do setor. No mundo, a madeira engenheirada já faz parte de diferentes tipos de construções, como escolas, hospitais, museus, prédios comerciais e residenciais. Vamos tirar a madeira do lugar que ela está hoje”, explica Ana Bastos, CEO da AMATA, ao enfatizar que, com a nova tecnologia, a madeira deixa de ser um acessório e passa a atuar como sistema estrutural das obras.

Há 15 anos atuando no mercado florestal, a AMATA viu uma oportunidade de direcionar seus esforços para o futuro da construção civil. A tecnologia é uma tendência mundial. Para Ana, o mercado brasileiro tem grande potencial de desenvolvimento, a julgar pela adoção da madeira engenheirada em países como Inglaterra, Canadá, Alemanha, Estados Unidos e Austrália.

 

Benefícios da madeira engenheirada

Ana Belizário, gerente de projetos da AMATA, citou um projeto canadense para exemplificar os benefícios da madeira engenheirada na construção civil. Foram necessários apenas 70 dias e uma equipe de menos de 10 colaboradores para que a estrutura de madeira dos 18 pavimentos do edifício fossem erguidos. A obra contabilizou a captura de 2.432 toneladas de CO², contribuindo para a descarbonização da construção civil.

“É um produto que entrega eficiência e produtividade, uma necessidade atual da construção civil. Com a madeira engenheirada é possível realizar obras mais limpas, em menos tempo, atendendo a aspectos fundamentais como prazo, durabilidade e sustentabilidade”, esclareceu.

Para Paulo Vandor, o material está alinhado a diversas tendências globais. “Trata-sede uma opção mais eficiente, porque gera economia de tempo na construção e utiliza menos mão de obra. Isso reduz o custo final, além de ser uma opção sustentável e com menor pegada de carbono”, enfatizou.

Dentre os benefícios da madeira engenheirada estão:

  • captura de CO²;
  • menor geração de resíduos nas obras;
  • redução de tempo e equipe dedicada;
  • melhor desempenho térmico e consequente economia de energia;
  • economia em revestimentos e fundações;
  • uso da madeira estrutural como acabamento.

 

Saiba mais sobre a tecnologia da madeira engenheirada da AMATA

Os dois principais produtos de madeira engenheirada disponíveis no mercado de construção civil são o CLT (Cross Laminated Timber) e o Glulam (Glue Laminated Timber). Os dois produtos são produzidos a partir de lamelas (tábuas) de pinus, que passam por um processo de secagem, classificação e tratamento em autoclave, que garante peças extremamente resistentes, leves e seguras.

CLT e Glulam


Projeto: Wood Innovation Design Centre | Arquitetura: Michael Green | Fotografia: Ema Peter

 

Glulam

A Glulam, ou madeira lamelada colada, tem um processo produtivo realizado por meio de colagem de lamelas de madeira, com o sentido das fibras paralelo ao eixo longitudinal da peça. As lamelas são dispostas ao longo de gabaritos mecânicos ou hidráulicos e submetidas a pressão, formando elementos construtivos leves e de grande desempenho estrutural.Ela pode proporcionar a produção elementos retos ou com formas curvas e complexas. 

Sua aplicação estrutural pode ser realizada em pilares, vigas ou arcos nas mais variadas dimensões e comprimentos, dando liberdade para realização dos mais diversos tipos de projetos.

 

CLT

A produção da CLT, ou madeira lamelada cruzada colada, é realizada por meio de colagem de camadas de lamelas de madeira dispostas lado a lado e empilhadas umas sobre as outras, sendo organizadas em sentidos opostos a cada camada. As camadas são submetidas a uma pressão por meio de prensas hidráulicas. E a reação dos agentes adesivos formam grandes painéis de alto desempenho estrutural.

Esse desempenho está relacionado à tecnologia de cruzamento de lamelas, permitindo que haja uma distribuição de carga bidirecional. Isso gera um produto leve, de dimensionamento estável e uma elevada capacidade de suporte de carga, e que pode ser aplicado nos mais diversos elementos construtivos como paredes, lajes e coberturas.Confira no vídeo como foi o evento de lançamento da madeira engenheirada da AMATA.

voltar [<]