Um futuro melhor construído em madeira

Com mais de 25 mil metros quadrados de área construída, a maior construção em madeira da América Latina fica no Tocantins.

Por AMATA AMATA 01/12/2017

Cercada pelos rios Araguaia e Javaés, a Ilha do Bananal em Tocantins, a 320 km de Palmas, é a maior ilha fluvial do mundo e sede para a escola rural da Fazenda Canuanã. Para as 800 crianças e jovens entre 7 e 18 anos que são atendidos pela fundação, a fazenda cumpre diferentes papéis: é lar, abrigo, local para descobertas e sala de aula. A Fundação Bradesco, que mantém a escola há mais de quatro décadas, propôs aos escritórios Rosenbaum e Aleph Zero o desafio de construir uma nova moradia para esses jovens.

O primeiro passo no processo de criação foi realizar uma imersão na Fazenda Canauã e no universo dos alunos. O local é realmente único, lá se encontram os biomas cerrado, pantanal e amazônia, apresentando condições climáticas que poderiam ser complicadores na hora de realizar uma obra desse tamanho. Foi a partir desse exercício que o time de arquitetos liderado por Marcelo Rosenbaum enxergou na madeira laminada colada de eucalipto a melhor opção para a construção das moradias.

O resultado é grandioso, com mais de 25 mil metros quadrados de área construída, estabelecendo-a como a maior construção em madeira da América Latina. Para sua realização, foram utilizados quase 1.000 m³ de Madeira Laminada Colada de eucalipto, proveniente de florestas plantadas. Os dormitórios estão organizados em dois pavilhões, agrupados em volta de três jardins. Uma ampla cobertura, que se assemelha à uma oca, unifica os quartos das duas alas, além de painéis de palha de buriti trançada, que sinalizam a entrada dos quartos. Os arquitetos que trabalharam no projeto ressaltaram o potencial arquitetônico, ecológico e econômico de utilizar a madeira laminada colada como material e que esta solução que poderia ser adotada em grande escala em todo o País.

Os resultados já começaram a surgir, com o reconhecimento do projeto como o grande ganhador do Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake Akzonobel 2017 e com o convite para que Marcelo Rosenbaum continue a trabalhar com a instituição. O arquiteto será responsável a dar forma para um novo refeitório, alojamento dos professores pelo plano diretor para as próximas três décadas de Canuanã.


Ficha Técnica

Moradias dos alunos da Fundação Bradesco/Canuanã

Local: Formoso do Araguaia, TO

Data do início do projeto: 2013

Data da conclusão da obra: 2016

Área construída: 25.000 m²

Arquitetura: Rosenbaum + Aleph Zero

Estrutura de madeira: Ita Construtora

Paisagismo: Raul Pereira Arquitetos Associados

Luminotécnica: Lux Projetos Luminotécnicos

Fundações: Meirelles Carvalho

Consultoria de conforto térmico: Ambiental Consultoria

Instalações Lutie

Lajes em concreto: Trima

Construtora: Inova TS

Gerenciadora: Metroll

Projeto de mobiliário: Rosenbaum e o Fetiche

Material de registro e comunicação do projeto: Fabiana Zanin

Fotos: Leonardo Finotti

Interiores: AnahoryAlmeida

Paisagismo: João Gomes da Silva

Engenharia: Afaconsult

Cliente: São Lourenço do Barrocal

Compartilhe

Outras redes sociais